Contos & Sons - Solução [5]




Bom dia, boa tarde booooooa noite, dependendo do horário que esse post está sendo aberto no seu computador.

O conto de semana passada do Contos & Sons pelo visto foi algo complicado, visto que poucas pessoas comentaram, e isso me leva a crer que o desafio está perto do seu final. Apenas os mais fortes sobreviveram até aqui hehe.

Confiram aí a resposta, pois estamos de volta.

Contos & Sons [5]


Então pessoALL legal, como tem passado? Pois olha que legal, o blog NÃO MORREU (fogos!!!). Após uma longa pausa, energias renovadas e meu título de Bacharel em Ciência da Computação no currículo, voltei para dar a vocês o que tanto tem me pedido. O próximo desafio do Contos & Sons. Estamos na reta final, e poucas músicas faltam ainda para decidir quem irá levar pra casa o exemplar do Bandeira Negra.

Mais uma vez peço desculpas pela demora para postar, mas garanto à todos que foi por uma boa causa. Um grande abraço à todos.

Com vocês...um rápido e fácil Contos & Sons 5!!!

Crônica - O dia em que a mídia livre mudou caráteres

A notícia que se espalha rapidamente pela pacata Passo Fundo, é as antigas leis municipais n° s 4.310/06 e 3.784/01 que estabeleceram sobre a abertura e instalação de supermercados, hipermercados e assemelhados na área urbana, que limita a 1.500m² de área de venda, pelo prazo de 10 anos.

Essa lei foi recentemente vetada pelo prefeito Airton Dipp, o que gerou toda a discussão em que estamos inseridos.

Algumas pessoas, denominadas vereadores, resolveram por livre e espontâneo achismo (para não citar outros termos mais fortes) que isso de alguma maneira desfavoreceria a economia local e traria malefícios para a cidade. De alguma maneira sobrenatural e desconhecida, levaram em conta o interesse de alguns para tentar barrar o veto do prefeito.

Segue alguns trechos do jornal local O Nacional:

O presidente da CDL de Passo Fundo, Roberto Estivallet disse que o município perderá com a instalação de grandes redes. “Quando vêm grandes mercados, a arrecadação se concentra na matriz das empresas. O município perde em arrecadação e a falta de arrecadação reflete no bem estar da população”, disse Estivallet.


Ele argumentou que esses hipermercados vendem em um primeiro momento, a ideia de preços baixos, mas meses depois quando dominam o mercado, eles aumentam os valores e diminuem os empregos. “A população que estava sendo beneficiada perde em termos de economia, impostos e emprego”, argumentou o presidente da CDL. A presidente do Sincomércio, Sueli Marini esclareceu que as entidades não são contra o desenvolvimento do município, apenas estão defendendo o comércio local. Essa opinião foi compartilhada pela Acisa e pelo Sincogêneros.

Peraí amigões. Deixa eu entender. A vinda de Hipermercados irá PERDER empregos? Isso irá REFLETIR EM FALTA DE ARRECADAÇÃO??? Me convençam como... "Procura-se empregados, mas não serão aceitos nativos de Passo Fundo". Ah por favor né? Passo Fundo está inserida no RS, que está inserido no Brasil, que faz parte do MUNDO GLOBALIZADO, então os únicos inteligentes do Brasil estão aqui em Passo Fundo, querendo fechar o mercado, voltar no tempo em que era tudo fechado e proibido!! Parabéns!!!! --> dentro de alguns anos estaremos competindo com EREBANGO (Perto de Erechim - nada contra os Erebanguenses).

Segue transcrição de alguns argumentos:

“Se ninguém me provar o contrário, não vou mudar o meu voto. A população está mal informada sobre essa discussão”.
Vereador José Eurides de Moraes (PDT) – líder da situação


Meu caro vereador, o mercado se regula por sí só, historicamente comprovado, (é só estudar um pouco de Economia, ou consultar alguém que entenda, ou ver o que aconteceu no Brasil nos últimos 20 anos) toda e qualquer tentativa no sentido contrário prejudica o consumidor - leia-se ELEITOR.

“O prefeito votou pela inconstitucionalidade, só que o veto não foi técnico e sim político. O prefeito em sua argumentação coloca que desde 2005 ele pensa na geração de emprego e renda e por isso não pode concordar com a ideia de limitar o mercado. Esperava um veto técnico, mas foi uma decisão baseada na opinião dele. Criou-se uma ideia de que a vinda de hipermercado traria incremento na arrecadação e isso não acontecerá. Não estamos proibindo a vinda, só estamos limitando o tamanho em 2 mil m². Quem quiser vir tem que disputar o mercado nas mesmas condições”. Vereador Rafael Bortoluzzi (PP)


Imaginem caros ELEITORES, que na sequência teremos outras leis... Só umas três imobiliárias, umas duas farmácias, um cinema, duas padarias, três lojas de roupas, tudo dentro da medida das que já existem... Parabéns amigões inteligentes... os outros que se f****, e o povo vai ter que comprar só desses... e provavelmente (se deixarmos) uns 80 vereadores. Disputar o mercado nas mesmas condições? Peraí... isso significa: Quem se importa com o crescimento da cidade? O legal é ficar tudo estagnado.... Revoltante senhor Rafael, revoltante.

“O próprio autor votou contra o projeto. Num primeiro momento essas grandes redes vão oferecer um preço baixo, mas depois elas vão ditar os preços. Estamos com falta de mão-de-obra. Isso não vai gerar mais emprego vai apenas levar o nosso dinheiro para outro país”. Vereador Rui Lorenzato (PT)


Pois é caríssimo... vamos criar uma lei proibindo gente de ir -levar dinheiro- gastar em Porto Alegre, Rio de Janeiro, fazer cursos que não sejam em Passo Fundo, viajar para o exterior, etc... é isso aí COMPANHEIRÃO. Temos que proibir o pessoal de sair da cidade com dinheiro. (menos os vereadores, claro). Amigo... Falta de mão-de-obra? Não vai gerar empregos? Peraí... eu acho que faltei à essa aula no meu ensino fundamental.

“A vinda de grandes redes afeta todo o comércio, não só os supermercados. Não vai gerar novos empregos. Vamos ter que dividir uma pizza com empresas de fora e não vamos receber um pila. A arrecadação vai toda pra fora. Minha opinião não muda e vamos derrubar o veto”. Vereador Aristeu Dalla Lana (PTB)


E pra finalizar com chave de ouro, essa reunião de asneiras:

“O Dipp deixou a base de saia justa e de repente ela ficará arranhada. A população quer a derrubada do veto a qualquer preço. Provavelmente vou manter o meu voto. Não é um atraso para Passo Fundo e acredito que estamos bem servidos com os mercados existentes. A decisão do prefeito foi política”. Vereador Roque Letti (PDT)


Então senhor vereador Roque, A POPULAÇÃO QUER A DERRUBADA DO VETO? De todas as besteiras que li esse dia creio que esta foi a maior. Me diga por favor, de que população está falando? A população de donos de mercados?

Bom, vamos tentar entender como a população pensa:

Interativa de ON
A grande maioria dos internautas que participou da enquete desta semana sobre a instalação de hipermercados em Passo Fundo, é favorável a liberação de área. A interativa perguntou:
Você concorda que seja permitida a instalação de grandes redes de supermercados na cidade?

Opção 1 - 96.08% - Sim
Opção 2 - 2.52% - Não
Opção 3 - 1.4% - Indiferente


Esse foi o primeiro indício de que algo estava errado. Após essa manifestação dos vereadores, a população começou a se manifestar pelo único meio livre encontrado. A internet.

Pelo site de relacionamentos Facebook, Alexandre de Mattos criou uma manifestação pelo aplicativo Causes, recrutando passo-fundenses para se unir à causa "Queremos Hipermercados em Passo Fundo". Em pouco tempo mais de 350 pessoas já se uniram à causa e mais de 1000 já 'curtiram'. Motivando Deputados a fazerem o mesmo, como pode ser visto pela seguinte notícia:

O Deputado Dr. Diogenes Baseggio através do seu Twitter @depdrbasegio enviou a seguinte mensagem: "Esperamos bom senso de nosso legislativo municipal de Passo Fundo para que novas lojas de supermercados se instalem em nosso município"


O perfil do site Twitter @PassoFundo_, que conta com mais de 4 mil seguidores, seguidamente transmite mensagens de internautas insatisfeitos com a decisão dos vereadores, como pode ser visto em algumas mensagens:




Então a população está querendo derrubar o veto? Estamos mal informados? A rede Extra abriu 200 vagas de emprego em SP e aqui não irá gerar nenhum? Qual é realmente a população favorecida no discurso dos vereadores?

Discute-se que irá quebrar os pequenos mercados, a vinda de grandes redes. Eu me pergunto, mercados pequenos (que não quebraram com a vinda por exemplo, do Bourbon) realmente serão afetados? As pessoas que compram ao lado de suas casas, realmente irão até o centro para fazer suas compras? Isso pra mim parece conversa do século passado.

Esta mesma argumentação FURADA foi levantada quando da vinda do Bourbon para Passo Fundo, e os AVIÕES querendo tirar uma casquinha... aproveitaram e se lascaram... O bourbom está aí e nada de anormal aconteceu, o mercado se regulou por conta própria.

Espera-se realmente políticas de compensação, e leis que impeçam o lucro de sair completamente da cidade, mas realmente, qual o malefício encontrado?

A cara de pau chega no ápice, quando percebe-se que algumas pessoas que se diziam contrárias ao prefeito, após essas manifestações da população (que supostamente seria contrária também) começam a fazer manifestações dizendo que "sempre foram favoráveis ao prefeito" e demonstram que estão dispostos a se "aliar à população" nessa luta.

Até onde irá chegar a hipocrisia de certas pessoas?

Esse debate está sendo muito importante para desmascarar quem tem culpa por baixo dos panos e mostrar quem realmente está do lado do povo.

Muito obrigado por esse esclarecimento.

A Promessa


Lá estava eu. Sentado em frente ao computador, lendo sobre como é importante passar para o papel os personagens antes de começar a escrever. Nunca dei realmente muita atenção pra isso, pois meus personagens são formados de relâmpagos de inspiração que saltam na minha mente.

Eu sabia que a inspiração estava ali, na ponta dos dedos. Tinha tido um desses flashes alguns minutos antes e sabia que logo a cena iria se formar. A paciência é uma grande virtude numa hora como essa. E comigo realmente não era diferente.

Então as frases começaram a se desenhar como em uma sopa de letrinhas...

...Ela com os cabelos recém saídos de um gostoso banho morno, aquele cheiro de shampoo de frutas solto no ar, invadindo minhas narinas e fazendo com que a adrenalina jorrasse meu sangue cada vez mais rapidamente para o meu corpo, fazendo com que meus pensamentos não mais me obedecessem, de fronte àqueles olhos castanho escuro...”

E quando terminei o parágrafo a cena se desfez. A dificuldade de criar contos é justamente a de que a história nunca fica clara na cabeça. As cenas são construídas quadro a quadro, e sem qualquer indício de começo ou fim, um instante qualquer perdido no tempo é o argumento chave para a criação de uma quantidade qualquer de folhas necessárias para a descrição do que está acontecendo.

Minha mente nunca foi privilegiada com o dom de criar traços e fazer com que a cena na cabeça se transformasse em uma cena impressa em papel. Talvez por isso cada detalhe torna-se fundamental, e em cada lampejo de imagem precisa ser gravado na íris, podendo ser percorrido e analisado profundamente para criar uma atmosfera que consiga envolver a cada palavra.

Opa, sinto a inspiração novamente bater na porta do cérebro... o transe recomeça...

...Quando ela se virou, o líquido de seus cabelos ainda molhados se concentrou vagarosamente na pontinha do fio mais agudo dos seus longos cabelos escuros. Uma gotícula se formou em cada ponta próxima, que se estendiam rebeldemente em volta do seu corpo, um pouco abaixo dos seios. Com essa união, a pequena umidade começou a se tornar uma grossa gota de água, que ao tocar sua pele desprendeu-se da imensidão negra dos cabelos e começa um lento deslize através dos pequeninos pêlos loiros, que apenas são enxergados se vistos através da luz do sol, e praticamente não tocam sua macia pele branca.

Completamente hipnotizado pelo patinar daquela gotinha, que deixava um sutil rastro líquido enquanto descia pelo meio da proteção feita pela toalha branca, não conseguia nem prestar atenção que a esta hora meu coração já pulsava praticamente no meio da garganta. Movido apenas pelo calor do momento, sem pensar em mais nada dei dois passos até chegar à frente dela, e me abaixei, deixando apenas meu joelho direito tocar o chão, e instintivamente, levei minhas mãos para detrás das pernas dela, tocando com cada palma, as costas da coxa contrária, e, em câmera lenta, aproximei minha face da barriga dela, encostando a ponta do nariz um palmo acima do umbigo, aonde podia-se ver o rastro de água, e estiquei a minha língua, tocando exatamente no ponto onde a gotinha desgarrada estava passando.

Percebendo o seu espanto e a tentativa de afastar-se, segurei com mais força nas pernas, trazendo-a para mais perto de mim, comecei a fazer o caminho inverso. Como se aquele rastro deixado no meio do corpo dela fosse uma afronta, fiz com que minha língua subisse cada centímetro desde o abdômen, e então notei que se formavam pequenas bolinhas, típico de alguém que começava a render-se aos arrepios que desde que a toquei era possível notar, subindo desde a base das costas, e que agora já deixava eriçados os pêlos das coxas e da barriga.

Fui subindo, dobrando a largura do caminho que refiz, pois agora quem percorria era minha língua, seguida de meus lábios, e fui também abandonando a posição de joelhos e levantei-me, subindo também minhas mãos, chegando até o início da bunda dela, e passando por toda aquela curva perfeita delineada divinamente, marcada apenas na parte da frente, no pequeno delta da calcinha fio-dental que estava usando, pois na parte de trás não percebia-se nada.”

Maldição! Justamente quando iria começar a ficar bom tudo virou névoa novamente. É hora de se concentrar e buscar à força no fundo do âmago o calor da cena que iria se desenvolver. A única coisa que consigo pensar é no próximo e provável passo, mas a previsibilidade nunca é algo a ser explorado.

Naquele dia percebi que a história não iria continuar. Seria provavelmente arquivada como tantas outras. Mas a dúvida sobre o que aconteceria com aquela garota permaneceu pairando pelo ar. Um final era necessário, mas não havia maneira de pensar em algo.

Então foi tudo abandonado. O conto parecia perdido.

Porém, como sempre acontecem nas boas histórias, algo inesperado acontece. E durante um simples trajeto até a faculdade, um lampejo vem seguido de um clarão defronte aos olhos. E aí, o desfecho estava lançado...

...Os corpos não conseguiam se desencaixar. O bailar dos rostos se tocando e as expressões de prazer demonstravam o ápice do momento. O ritmo frenético do ato, fazendo o suor escorrer da minha testa e pingar sob o rosto dela, criando uma mistura de fluidos por todo o corpo, apenas aumentava o nosso desejo por aquele momento. As bocas se encontravam, enquanto meu braço subia desde a coxa dela, passando pela cintura e terminava erguendo seus braços até acima da cabeça, prendendo-a enquanto atacava seu pescoço com beijos e mordidas, fazia com que os pés se retraíssem em espasmos involuntários.

O momento estava chegando...

De uma vez só, viro-a e coloco encima do meu corpo, segurando firmemente na sua cintura, subindo a mão, passando pelos seios até encontrar sua nuca, puxando-a contra mim, terminando o movimento em um beijo demorado.

Em meio a arranhões no meu peito, ela começa a deslizar, subindo e descendo soltando gemidos contidos, ao tempo em que começo a sentir uma contração subindo da ponta do meu pé, esquentando cada centímetro do meu corpo.

Então os corpos explodem de uma vez só em um orgasmo intenso, fazendo-a puxar meu corpo em direção ao dela, passando suas unhas pelas minhas costas, e me deixando marcas que mais tarde perceberia que iriam ficar para sempre. Meu sangue começava a escorrer pelo lençol, o que aumentava meu prazer, enquanto o gozo dela estava se multiplicando a cada grito, que agora de contido não tinha mais nada.

Era chegada a hora. Aqueles olhos escuros me fitaram enquanto seus músculos ainda tentavam controlar os espasmos, e percebi que deveria concluir aquilo que me propus.

A adaga estava cuidadosamente colocada no vão entre a cama e o colchão.

Estico a mão e seguro-a pelo cabo, passando a língua na lâmina fazendo-a reluzir.

Então ela quase cai encima de mim, segurando-se apenas pela pouca força que ainda resta nos braços, me encarando com uma expressão de súplica.

O corpo dela, ainda encaixado ao meu é jogado para trás, e a tensão começa a preencher seu espírito. Seus punhos se fecham e dois socos são desferidos no colchão, além de um grito agudo. Nesse momento eu sabia que a dor começaria a se tornar insuportável. A transformação estava se iniciando.

Recordo-me de suas palavras suplicando para que impedisse o ritual de se concluir. Sua alma era doce, e só porque tinha a vendido não quer dizer que tenha que causar o mau para o qual estava destinada.

Concordei com lágrima nos olhos, sabendo o que teria que fazer...

Retorno de meus pensamentos com aquela expressão de horror na face dela, pedindo-me para pôr um fim naquilo. Eu não poderia demorar mais. O tempo agora se esgotava rapidamente.

Puxo a adaga para o meu peito, segurando no cabo e virei a lâmina em direção ao peito dela, que agora se aproximava em mais um baque em seu corpo. Pela pequena distância que estávamos nesse momento, a ponta já começava a fazer um pequeno furo na sua pele.

Recuperando momentaneamente o olhar terno e doce, estica o rosto em direção ao meu ouvido e sussurra, em uma voz quase irreconhecível... Eu te amo... E sua boca colou na minha em um demorado beijo, fazendo as lágrimas escorrerem pela minha face. Então sinto seus braços perdendo a força, seu corpo caindo em direção ao meu, e a adaga trespassando seu coração.

Com o sangue quente que brotava da ferida aberta, unido ao choro, antes contido, que agora era liberto, giro o punhal da adaga e uma lâmina oculta no cabo se liberta. Uma alma só não é o suficiente para impedir, você me disse, e estou aqui para cumprir o que prometi. Então grito com todas as forças, enquanto abro os braços e deixo o peso do seu corpo, já sem vida, cravar a lâmina contrária em meu peito nu: Eu também te amo, Tay!”.

Um Giro Pelo Mundo da Literatura

Hum... vejamos a sigla disso... UGPML :D.. é uma ótima sigla. Decorem ae, eu espero...

Decoraram?

U


EME
ELE

:)...

Então pessoal, Um giro pelo mundo da literatura vai descrever semanalmente os lugares virtuais que eu visito, as novidades interessantes e qualquer coisa que diga respeito à literatura.

Então, vamos ao giro dessa semana:

* Um livro sem capa e com traças *

É a maneira de definir o novo livro de Alfer Medeiros.  Um livro que será publicado em embalagem especial, conservando o livro, que conterá apenas a folha de rosto, com a união lateral e as colagens aparecendo e até com uma pequena traça (tá, é um desenho, mas uma traça).

A idéia originalíssima é da Editora Estronho, que em conjunto com o Alfer, decidiram largar para o alto a idéia que um livro se julga pela capa, convidando o leitor a entrar de cabeça dentro da escrita.

Confiram o blog do livro aqui: http://goo.gl/7DXzF

* Um livro em trinta dias *

É o que promete Pedro Moreno, nos trazendo a Funerária Anúbis (que ele está querendo trocar), trazendo uma idéia interessante, de documentar diariamente o andamento do livro, seja como imagens, como videologs, ou como postagens no blog do livro. É uma dica interessante pra quem quer saber como funciona o dia-a-dia de um autor, bem como a criação do livro. Você também pode sugerir coisas ao autor. Quem sabe o seu nome não aparece pelo livro?

Acompanhem o processo de escrita que vai até o dia 18 de maio, pelo blog: http://goo.gl/CiRJh

* Um blog à moda antiga *

Minha namorada Paloma começou ontem um blog, para escrever sobre os pensamentos e sentimentos dela. Na verdade eu acho que ela quer é escrever contos, por isso estou aqui estimulando-a :)...

Blogs Old School são aqueles em que os autores postam sobre as situações do dia-a-dia em vez de postarem tirinhas ou videos engraçados.

Espero que dê certo (é o blog que ela mais postou até hoje).

Confiram lá : http://goo.gl/AXplp


* Você está pronto para isso? *

A data do lançamento do livro Morgan: O Único está chegando, e crescem as chances de um evento na cidade do autor, Douglas, para o lançamento do livro, na sexta-feira 13 de maio.

Enfim o mundo saberá como pensa (pensa?!) um zumbi, e qual o motivo para suas manias um pouco encômodas de chupar cérebros.

Não deixem de acompanhar as novidades no blog do livro: http://goo.gl/GeBbP



* Os uivos serão ouvidos *

 Estão abertas as inscrições para a antologia Metamorfose II, Os filhos de Licaão, organizado por Ademir Pascale, promovido pela Editora Literata. A antologia contará com contos lupinos, e promete trazer um material de alta qualidade, de acordo com os leitores da Metamorfose I.

Para se inscrever, faça um conto sobre lobisomens com até 8.000 caracteres e envie ao organizador.

Confiram as outras regras da antologia no link: http://goo.gl/YHXP1


Bom minha gente, espero que tenham gostado dos links da semana, uma boa semana e uma ótima páscoa à todos vocês. Um grande abraço

Contos & Sons - Solução [4]



Então pessoal, como estão?

A Contos & Sons da semana passada ao meu ver parecia fácil, porém acredito que o pessoal esteja desanimando, ou sabe-se lá porque tivemos apenas 5 palpites. Espero que não continue assim, ou logo iremos nos encaminhar para o final da promoção ;(...

De qualquer forma, vamos à aguardada resposta, pois isso é o Terror, e ninguém vai te salvar...



Como posso começar a falar sobre essa música... Hum... Vejamos. O álbum Thriller foi, e continua sendo até hoje, o Álbum Mais Vendido de Todos os Tempos(com vendas estimadas entre 100 e 110 milhões de cópias ao redor do mundo). Também é o álbum mais vendido da história dos Estados Unidos. Sete das nove canções do álbum foram lançadas como singles, e todas chegaram às dez primeiras posições da Billboard Hot 100, parada de sucessos da revista americana Billboard. O álbum também conquistou um recorde de sete Prêmios Grammy em sua edição de 1984.

Ufa... Cansei... êta cd premiado heim?

Além disso, está na 20° posição da lista dos 500 Melhores Álbuns de Todos os Tempos feita pela revista Rolling Stone, e está em terceiro na lista de 200 Álbuns Definitivos de Todos os Tempos, da Rock and Roll Hall of Fame.

Thriller foi gravado entre abril e novembro de 1982, com um orçamento de 750.000 dólares (Alô Bethânia) para a sua produção. Ao contrário de muitos artistas, Jackson não compôs estas canções no papel, mas as cantou num gravador; durante as gravações, cantava-as apenas com o auxílio da memória.

Quando as nove canções do álbum foram concluídas, tanto Jones(produtor) quanto Jackson ficaram descontentes com o resultado, e remixaram cada uma individualmente, gastando uma semana em cada. Jones acreditava que "Billie Jean" não era suficientemente forte para ser incluída no álbum, mas Jackson não concordou e a manteve (alguma dúvida do acerto?!). Jones disse a Jackson que Thriller pouco provavelmente teria o mesmo sucesso de Off the Wall, pois o mercado tinha enfraquecido desde então. Como resposta, Jackson ameaçou cancelar o lançamento do álbum.

Quando Temperton (Rod, compositor) compôs a canção "Thriller", tinha pensado em chamá-la originalmente de "Starlight" ou "Midnight Man", porém acabou concordando com "Thriller" por achar que o nome tinha um grande potencial de mercado. Sempre querendo a participação de uma pessoa famosa para recitar as partes finais das letras de suas canções, Jones trouxe o célebre ator Vincent Price, conhecido de sua esposa, que gravou toda sua parte em apenas duas tomadas. Temperton escreveu o trecho falado da letra num táxi, no caminho para o estúdio de gravação.

No Brasil, Thriller é o álbum internacional mais vendido de todos os tempos. Até 2001, tinha interessado a 1.2 milhões de brasileiros (até hoje estima-se que tenha alcançado mais de 1,8 milhão pelo país). "Billie Jean" foi a segunda canção mais executada nas rádios do país em 1983, atrás somente de "Menina Veneno", do cantor Ritchie.

Eu tentei trazer a história original (com várias passagens) da música pra este conto, juntando com a idéia de que a música é cantada de uma pessoa para outra, o que me levou a treinar um tipo de escrita diferente das que eu estou acostumado.

Espero que todos tenham gostado.

A pontuação ao final da quarta etapa é a seguinte:





Um forte abraço, e até a próxima :)

Quem quiser aproveitar e colaborar na vaquinha pra ajudar na minha formatura, clica ali do lado :D

Novidades [4]

Bom pessoal.

Vamos às atualizações sobre as novidades do Autor :)...

I - Em fevereiro, dia 26, o blog completou 1 ano de vida \o/... Teoricamente a promoção seria em comemoração ao 1 ano de vida, juntando com a marca de 10 mil visualizações. Ou seja, muita coisa à comemorar... Mas como passou, eu esqueci de fazer o post. Então estou aqui relembrando as marcas históricas :D.

II - Mês passado, dia 06 de março, completei 23 aninhos de vida (hip hip hurra hip hip hurra). Parabéns atrasado pra mim.

III - Existe um projeto da Universidade de Passo Fundo, chamado Crônicas Faquianas, que é um livro lançado anualmente na Jornada da Literatura. Segue sinopse:

Crônicas Faquianas nasceu de uma conversa e outra nos corredores da FAC, nos estímulos de sala de aula, na tagarelice na frente do bar do seu Jorge e no bisbilhotar do ônibus. Este é um livro de vários autores, que socializam com os leitores a sua expressão criativa.
Diferentemente de qualquer gênero existente na face da Terra, a crônica é livre, nasce da imaginação, da criatividade, de viagem galáctica de qualquer pessoa que se meter a escrever um texto que se chama "crônica". Por isso ela é um gênero-ônibus e por isso nasceu entre as vizinhas.

Este ano, Crônicas Faquianas chega ao seu 5º volume no ano de 2011 e será lançado na Jornada da Literatura deste ano. Álisson, porque está fazendo merchan do livro?




Então amiguinhos, a novidade é que meu conto Down, postado aqui no blog à vocês, resolvi transformá-lo em crônica e enviar aos organizadores. E a surpresa? FUI APROVADO \o/...

Então, logo mais minha crônica será uma das publicadas no livro :D...

Acho que era isso... Um abração pessoal. Até mais!

Contos & Sons [4]


Bom, cá estou eu novamente para trazer o quarto desafio da nossa promoção Contos & Sons. A disputa está acirrada. Dessa vez vem um conto que, acredito eu, não irá fritar seus cérebros, como o anterior fez.

Curtam aí, Contos & Sons 4.

[Pré] Livro Review - Morgan: O Único

Bom pessoal como estão? Eu agora voltei à vida. Depois de duas semanas corridíssimas para entregar todos os compromissos do serviço, consegui dormir até tarde um dia hehe.

Então hoje decidi fazer mais uma review de livros hoje, porém com um adendo: O livro da review de hoje ainda não foi lançado.

Peraí Álisson, como assim? Vai fazer um post com uma preview do livro?

Não amigos leitores, deixem-me explicar.

Quando o livro estava em produção, o autor, e grande amigo meu, Douglas Eralldo, me usou de backup do livro, caso algum desastre acontecesse. E justamente isso que aconteceu, como diria Murphy.



Um belo dia quando ele estava fazendo o deslocamento diário casa-serviço, não é que o infeliz me perde o Pendrive contendo uma única versão (não reproduzida) de um dos capítulos mais importantes do livro? E pior, do livro TODO. Mas por sorte/destino, eu tinha a única cópia do material que hoje está sendo produzido sob a bandeira da Editora Literata. E como bônus, fui o leitor #1 deste, que provavelmente será uma das bombas da literatura nacional, explodindo conceitos e criando idéias até então pouco exploradas.


O livro nos traz a história de um homem comum, vivendo em uma cidade do interior, com seu fusca e seu cão e seus problemas com as refeições de domingo. Sua vida sofre uma reviravolta, e quando o leitor menos espera, se depara com um zumbi se erguendo da tumba.

Isso não seria novidade, não fosse pelo fato de que quem nos narra a história é o próprio zumbi.

Morgan acorda faminto, e desnorteado, iniciando uma caminhada rumo à morte certa, ou talvez à vida eterna...

Morgan nos conta detalhadamente sobre todos os problemas sofridos por um zumbi recém renascido que não sabe absolutamente nada sobre como se comportar. Desde problemas intestinais, afinal seu intestino está pendurado, até sua fome pelo alimento primordial dessa espécie: cérebros.

O livro nos traz uma narrativa intensa, com seus capítulos não tomando mais de duas folhas, trazendo idéias claras, em uma linguagem acessível, somos levados de paraquedas na marcha de Morgan rumo aos seus instintos.

Como não poderia faltar, como todo bom romance, nosso amigo nutre uma paixão secreta justamente pela moça mais desejada da cidade. E daí que agora ele é um morto-vivo?!

Esse livro fez reservou na minha agenda a primeira hora da manhã apenas para aguardar receber o arquivo, ler e refletir sobre o capítulo, dando-me a vontade de ter o próximo capítulo à mão, pois a curiosidade era imensa, em todos os capítulos. Inclusive chinguei muito o Douglas no dia que ele resolveu fazer o último capítulo (hehe).

Então pessoal, o que posso dizer sobre esse livro, é que a partir do momento em que vocês começarem a ler, será impossível terminar até chegar à última página. Um romance que mescla de uma maneira perfeita momentos de ação, de auto-reflexão e de análises sobre o comportamento humano, não deixando de lado uma pitada clássica de humor.

Quer entender como um zumbi se sente? Quer saber mais sobre sua paixão por cérebros? Quer descobrir que os verdadeiros laços de amizade se mantém mesmo após a morte? Quer saber como se mata um zumbi? Então não deixe de conferir Morgan: O Único, em lançamento nacional em uma sexta feira, dia 13/05/2011.


Mas foi o segundo cuspido da espingarda que ecoou como um trovão anunciando o apocalipse. O projétil, um chumbo cilíndrico e pesado cortou o ar noturno cantarolando a morte, e sem se fazer de rogado invadiu a pele abrindo um rombo em minhas costelas, deslizando pela carne podre, e fazendo voar pelos ares pedaços de vísceras mortas. 


Aqui termina nossa [pré] review do livro (se não vou contar demais, antes mesmo do livro ser lançado), agradecendo a honra de poder ser o primeiro leitor, e consequentemente o primeiro blog a fazer uma review deste excelente livro que Douglas nos apresenta no próximo mês.

Dito isso, convido-os a conhecer o Blog do Livro, onde o autor nos traz notícias sobre o cenário zumbi, e atualizações sobre o livro.

Não deixem de adquirir, incentivar, apoiar esta trama (que espero que se torne uma Trilogia).

Por hoje é só pessoal.

Um grande abraço à todos.

Homenagens Recebidas

Bom, durante a semana fui homenageado pelo meu amigo do blog Mundo dos Comentários (http://www.mundo-doscomentarios.blogspot.com/) com dois selos especiais.

Esse é um post de agradecimento, e também um post para cumprir as exigências feitas por ele para que o selo fosse válido :)...

O primeiro foi:
Regras:


Responder a seguinte pergunta: "Com quantos anos você queria ser Imortal e viver a Eternidade?"


R: Olha sinceramente, a época que eu estou vivendo agora (atualmente 23 anos) está sendo uma das melhores da minha vida. Deixa eu ir um pouco mais na academia e aí posso marcar essa como a idade que eu queria ter para ser Imortal :D.


Uns dias depois recebi outro selo:

Regras:

Nome: Álisson Zimermann (Depósito de Contos)
Uma música: Sonho de uma Flauta (Teatro Mágico)
Humor: Muito bem humorado quase sempre :D
Uma cor: Azul
Uma estação: Inverno
Como prefere viajar: De avião (Azul), bem acompanhado pela minha namorada :D
Um seriado: Lost é e sempre será o melhor seriado
Frase ou palavra dita por você: O limão é uma laranja de mau humor...
O que achou do selo: Tri bagual tchê
Blogs que valem a pena conhecer: Só olhar na lista de blogs ali do lado ->


Bom... era isso pessoal.. Um abraço à todos, em especial pro Gustavo que me mandou os selims :).

Contos & Sons - Solução [3]


Olá a todos os meus amiguinhos como vão vocês?

Eu estou muito bem, obrigado.

O Contos & Sons da semana passada gerou muitos problemas pelo nível de dificuldade encontrado no conto. Dessa vez eu tenho que reconhecer que eu tive de fazer um exercício de imaginação para conseguir chegar à um conto que fizesse sentido, pois a música mesmo nos traz poucas informações.

Mas como a música é um clássico, não poderia ter ficado de fora. Minha solução foi pegar frases no meio da música, colocá-las no meio do texto e tentar formar o conto. Mesmo assim não obtive muito sucesso. Então após pesquisar em fóruns sobre o significado que as outras pessoas imaginavam ser, encontrei um que se encaixou perfeitamente na música e então me baseei nisso.

Foram várias trocas de palpite entre vocês, e por incrível que pareça, uma boa parte obteve muito sucesso.

Então, aproveitando esse início de semana, vamos ao que interessa para começar a segunda-feira fervendo.

Aqui vai a tão esperada resposta... Curtam aí... Queen:




Bohemian Rhapsody é uma canção composta por Freddie Mercury, gravada originalmente pela banda Queen em 1975 no álbum A Night at the Opera. Esta canção possui uma estrutura musical incomum para a música popular, o que a faz ser considerada por muitos uma obra de rock progressivo. Suas seis sessões não possuem um refrão. Foi lançada como compacto e tornou-se um estrondoso sucesso comercial. Ela esteve em 4 álbuns do Queen entre os 20 mais vendidos e teve um videoclipe que ficou conhecido mundialmente, marcando a carreira da banda.

Pela revista Rolling Stone, é classificada na posição 163º na lista de "As 500 Melhores Músicas de Todos os Tempos", e o seu álbum está na posição 152º na lista dos 200 álbuns definitivos do Rock and Roll Hall of Fame.

Na tentativa de descobrir o significado dela, nos deparamos com as seguintes explicações:

O que se sabe é que eram 3 canções que Freddie juntou numa só. A banda conta que Mercury tinha um mapa da canção riscada na sua agenda e que só ele sabia decifrar.


Estas 3 canções foram gravadas separadamente, e durante as gravações só Mercury sabia como cada uma seria encaixada na musica. Não se sabe ao certo, mas acredita-se que foram utilizados cerca de 5 estúdios para a gravação da faixa, para gravar os backing, as vozes e os overdubs e que foram utilizados estúdios diferentes. Há cerca de 180 vozes gravadas na parte operística de BoRap. O riff de guitarra após a parte operística foi composto por Freddie, ele fez os acordes no piano e cantou para Brian May como ele deveria tocá-lo.


O próprio Freddie nunca explicou ao certo o significado da música. Existem algumas pessoas que afirmam que ela é uma metáfora, sobre a sexualidade de Freddie e do julgamento que as pessoas faziam sobre este tema, e que sua letra fala sobre julgamento, num contexto de como as pessoas gostam de julgar as outras, como na parábola bíblica da mulher adúltera "Quem nunca errou que atire a primeira pedra", porém isso não passa de mera especulação. O que dá para compreender perfeitamente é o seu título Bohemian Rhapsody - Rapsódia Boemia, já que Rapsódia significa musica com vários estilos diferentes, é um termo utilizado para descrever trabalho que engloba muitos estilos, tanto para a música, quanto para o Teatro, cinema, literatura, etc. Já que Rapsódia é uma obra de arte que contempla vários estilos, ou seja, perfeitamente o que vemos em Bohemian rhapsody, uma obra de arte que funde, Pop, Heavy, Ópera.

Porém nada disso é confirmado por ninguém da banda.

Em uma entrevista, Brian May disse:

What is Bohemian Rhapsody about, well I don't think we'll ever know and if I knew I probably wouldn't want to tell you anyway, because I certainly don't tell people what my songs are about. I find that it destroys them in a way because the great thing about about a great song is that you relate it to your own personal experiences in your own life. I think that Freddie was certainly battling with problems in his personal life, which he might have decided to put into the song himself. He was certainly looking at re-creating himself. But I don't think at that point in time it was the best thing to do so he actually decided to do it later. I think it's best to leave it with a question mark in the air.


Bom, parece que será difícil conseguirmos descobrir qual o real significado da música. Em um fórum qualquer, encontrei uma explicação sobre um garoto que comete suicídio, e, ao descer até as profundezas, se arrepende pelo feito, tanto pelo sofrimento que causou à sua mãe, quanto à perda da vida propriamente dita. A partir disso comecei a construí-lo.

Espero que tenham gostado.

Segue a pontuação:



E até a próxima postagem. Aguardem...

Quem ainda não se inscreveu, para receber as postagens da promoção 24 horas antes dos demais veículos de divulgação, para obter uma preciosa vantagem, faça isso sem demora, no link: http://depositodecontos.blogspot.com/p/inscreva-se.html

Livro Review - Fúria Lupina Brasil


Como de praxe, aqui vai a resenha não spoilerzenta do livro Fúria Lupina Brasil, do autor paulista Alfer Medeiros.

Bom, quando resolvi que iria viajar nas férias, esse foi o primeiro livro me veio na cabeça, como o mais propício a ir junto na bagagem...

Eu esperava ler ele rápido, pois além de ser um tema que eu gosto, os primeiros capítulos eu já tinha lido no blog, então sabia que poderia esperar coisa muito boa.

Um livro sobre Lobisomens, que cita uma frase nos fazendo pensar: "Você está preparado para conhecer o maior predador do planeta?". Dizem que para entendermos mais da metade do sentido de um livro devemos ler duas vezes no mínimo. Aqui ele já nos mostra que mesmo antes de abrir o livro, já teremos que rever nossos conceitos sobre tudo o que conhecemos a respeito das feras, e de nós mesmos.

Um livro de leitura rápida e fácil, de linguagem acessível (pode dispensar o dicionário) faz com que as folhas sejam viradas de maneira que quando menos esperamos já estamos na metade do livro praticamente.

O livro é rico em detalhes sobre lugares famosos de grandes cidades, e até sobre cidades nem tão grandes assim, trazendo o leitor pra cena de ação a cada parágrafo lido.

O autor nos traz uma riqueza cultural impressionante, abordando temas atuais como desmatamento, e também peças curiosas de nossa cultura, como as conhecidas Lendas do Saci, e Boitatá, e até algumas que eu desconhecia (conhecem o cara vestido de branco? ;) ).

E assim o livro segue, de uma maneira brutal e eletrizante até o fim, com muito espancamento, sangue jorrando pra tudo que é lado, mutilações e transformações insanas do começo ao fim. Se você espera um livro para ler na privada, ou na sala de espera do dentista, afaste-se dele, pois cenas de ação são sentidas na pele capítulo após capítulo.

A 'trilha sonora' do livro também é de arrasar, trazendo bandas do bom e velho peso do Metal, tanto em citações de bandas, quanto em citações de trechos de músicas. Para um leitor que curte o bom som que a música nos traz, também é uma excelente pedida entrar no blog do livro e conferir as músicas que rolam pelo livro, na íntegra.

E o que se esperar de um professor na área da informática? Que seus personagens também o sigam. Já tinha imaginado um lobisomem fazendo faculdade? E de alguma Área de TI? Pois é... Acredito que alguns irão se surpreender. Esteganografia? Faça a matéria de Segurança da Informação e descubra :).

Em contrapartida, como nem tudo são flores, senti uma falta tremenda da parte contrária dessa ação toda. Como o livro é descrito em terceira pessoa, as cenas de sexo deixam o leitor um pouco longe da intensidade correspondente a cada vez que o ato é concebido. Em vez de a adrenalina subir ao auge, em algumas cenas as coisas se acalmavam, mesmo com os personagens rolando pelo gramado hehe.

Esse estilo de narração também me fez ficar um pouco distante dos personagens, e eu demorei um pouco pra me identificar... ou melhor... pra me apegar aos personagens.

Felizmente isso não diminuiu a excitação do livro, até a última e surpreendente página, nos deixando com uma super pulga atrás da orelha, e implorando por mais livros da série.

Com certeza um livro que será lembrado como um dos grandes, neste tipo de literatura fantástica lupina.

Nota: 8.7

Portanto,  concedo ao livro um grande 8.7, tanto por me fazer ter horas de folga agradáveis durante a viagem, como por me instigar a escrever sobre lugares onde passamos todos os dias, mas que geralmente esquecemos na hora de escrever.

Onde comprar o Fúria Lupina: http://furialupina.blogspot.com/2010/09/furia-lupina-onde-comprar.html
Referências Musicais: http://furialupina.blogspot.com/2010/08/referencias-musicais.html

Um forte abraço à todos e até a próxima resenha.

PS.: A caneca que veio junto com o livro de presente pra mim é simplesmente o objeto mais visto e elogiado da minha estante. 100% das pessoas que vão na minha casa adoram-na :D

Contos & Sons [3]


E então pessoal, como tem passado?

Pois é, as férias acabaram e o blog está de volta. E com ele vamos à terceira parte da nossa promoção. Já estão enferrujados? Espero que não, pois aqui vai uma difícil.

Aqui vai: Contos & Sons 3


Contos & Sons - Solução [2]


E aí galerinha... como tem passado? Eu estou ótimo. Férias revigorantes, idéias mil e vários contos em mente.

Peço desculpas por ter demorado para postar, mas o ImageShack se revoltou contra todos que utilizam suas imagens, e fez com que todos tivessem que cadastrar seus domínios no site deles, para poder utilizar as imagens. No lugar delas, um Sapo Estuprador de Gelo (agora sim) (vlw Jones) estava impossibilitando a leitura.

Então assim que foi regulamentada essa situação, estou aqui postando a resposta tão aguardada.

Com vocês... Metallica!



Master of Puppets é o terceiro álbum de estúdio lançado pela banda Metallica, em 21 de Fevereiro de 1986. Até hoje, vendeu mais de seis milhões de cópias, apenas nos Estados Unidos. O álbum está na lista dos 200 álbuns definitivos do Rock and Roll Hall of Fame (75º lugar), assim como o nosso desafio anterior (35º lugar).

Este é um álbum amplamente reconhecido como um dos maiors álbuns da história do metal. A revista inglesa Metal Hammer e o site Music Radar se uniram para promover uma votação para eleger o melhor álbum de Heavy Metal de todos os tempos, e eis que o escolhido foi Master of Puppets.

Essa canção é notável pelo uso de downpicking e pela sua longa introdução instrumental, com aproximadamente três minutos e meio, e segundo a lenda Ozzy Osbourne, é o que foi feito de melhor na história do Heavy Metal.

Segundo James Hetfield, Fundador e Líder da banda, essa música fala sobre drogas. Como as coisas mudam, em vez de sermos nós a controlar o que tomamos ou fazemos, São as drogas que lhe controlam.

Aqui no blog eu trouxe a vós a versão sangrenta e literal da letra da música, como um ser que controla, como marionetes, seus 'brinquedos'.

A pontuação ficou nesse momento, assim:



Aguardem os próximos desafios, e fiquem atentos, inscrevendo-se no link lá encima para receber por email, antes dos outros, o momento da postagem.

E não desanimem, pois o primeiro que acerta ganha mais pontos que os outros, portanto todos ainda tem chance.

Um forte abraço à todos.

Contos & Sons [2]


Bom pessoal, estamos aqui para a segunda parte da sessão Contos & Sons, e de praxe, a segunda etapa da Promoção Bandeira Negra.

Foi uma boa participação na primeira etapa, mas quem ainda não está participando, ainda tem muita chance de vencer.

Como antes, a frase da promoção estará no fim do post e peço que retwitem a partir de amanhã, para não tirar a vantagem de quem irá receber por email. Não recebeu por e-mail? Inscreva-se :)

Boa sorte à todos...

Com vocês: Contos & Sons 2

Contos & Sons - Solução [1]



E então pessoal. O que acharam do primeiro texto? Fácil?!

Algumas pessoas encontraram dificuldade, mas com certeza foi pelo desconhecimento da letra, afinal essa música que postei tem um ar romântico em sua sinfonia, trazendo confusão à quem não dá muita atenção à ela.

Bom, sem mais delongas, com vocês... Eagles!



Hotel Califórnia nomeia o álbum da banda Eagles lançado em 1976. A música foi premiada com um Grammy Awards na catergoria "Record of the Year". O álbum está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall Fame, e em 37º na lista dos 500 melhores álbuns de todos os tempos, pela revista Rolling Stone (2003).

Uma das teorias acerca da letra traz que "Hotel Califórnia" foi a denominação dado ao "Camarillo State Hospital", em Ventura. O Hospital tratava pessoas com problemas mentais como esquizofrenia e autismo, sendo um dos primeiros a pesquisar medicamentos e terapias para isto.

Outra interpretação dada é que o hotel faz referência ao consumo de drogas, relacionando a música com sintomas da utilização.

E ainda uma terceira fala sobre práticas satanistas, mas essas vocês terão que ler a letra para tentar imaginar.

Essa música também ganhou uma versão humorística pelo canal MTV, intitulada Hotel Diadema, que vocês conferem nesse link.

E aqui no Depósito de Contos, trouxemos para nossa atmosfera um conto utilizando-se do sentido literal da música, fazendo nosso amigo como um hóspede permanente desse Hotel Maldito.

Espero que tenham gostado desse primeiro desafio. Segue a pontuação:



Esse resultado estará na barra lateral do blog ao longo da promoção.

Então aguardem a próxima música amigos. Lembrando que quem estiver inscrito recebe a notificação do post 24 horas antes e tem mais chances de acertar.

Para quem não participou, não deixe de participar nas próximas etapas... Lembre-se que quem acerta a música por primeiro ganha 3 pontos. Os demais que acertam ganham 2 e quem apenas postar sem necessidade de acertar ou não ganha 1 ponto... Ou seja, é muita chance de ganhar mesmo pra quem não conseguiu participar dessa primeira etapa.

Contos & Sons [1]

Como prometido, aqui começa a nova série do blog Depósito de Contos, chamada Contos & Sons.



Essa sessão tem o intuito de criar contos à partir de músicas, que em vários casos enriquecem a literatura com letras que dão incríveis histórias. E aqui começo, com uma música muito conhecida.

Para apimentar a criação da nova sessão, lanço um desafio aos meus leitores. Deixem nos comentários o nome da música que acreditam que seja a correspondente e tentem chegar em primeiro e conquistar o hall da fama do Depósito, e de quebra, ganhar um exemplar do Bandeira Negra. Confira as regras nesse post.

A frase a ser posta no mural e/ou retuitada estará no final da postagem. Peço por favor à aqueles que estão inscritos (que estão recebendo o link dessa postagem 24 horas antes dos demais) que façam isso apenas amanhã, quando eu divulgar nos veículos de comunicação, para não tirar a vantagem que todos vocês conquistaram. E lembrem-se que postar no mural ou no twitter é OBRIGATÓRIO para a validação dos pontos.

À aqueles que querem ter mais chance e não estão inscritos, inscrevam-se no link lá encima na barra de links do blog.

Para não me extender mais, começa aqui, Contos & Sons:



1º Promoção Cultural

Então pessoal, como prometido, está lançada a 1º Promoção Cultural do Depósito de Contos.



A premiação será Um Exemplar Autografado da Antologia Bandeira Negra.

Todos poderão participar. O pré-requisito para poder participar é ter Twitter e/ou Facebook.

Cada semana será postado em um dia aleatório um conto baseado na letra de uma música. Os comentários a partir de agora serão moderados para evitar que outros vejam as respostas e só serão liberados a partir do próximo conto.

Meu objetivo é tentar trazer para os contos a imagem que passou pela cabeça dos autores na hora da criação das músicas

O objetivo dos leitores é tentar adivinhar qual a música que foi criada à partir desse conto.

Ao final da promoção, o leitor que tiver adquirido mais pontos será o vencedor.

Seguem as Regras da Promoção:

- Seguir meu twitter: @alissonzima e/ou curtir a página do Depósito de Contos no Facebook: Depósito de Contos no Facebook
- Seguir este blog (clicando no botão Seguir ali ao lado ->)
- Retwitar a mensagem semanal com a frase que terá em cada postagem e/ou Postar no mural do Facebook a mesma mensagem.

É necessário postar no comentário além do nome da música, uma forma de identificação para contabilizar os contos. Seja e-mail, twitter, ou facebook.

Somente serão contabilizados os pontos a partir do cumprimento dos requisitos. Caso a mensagem não seja retwitada ou postada no mural, ou o leitor não siga o perfil ou a página não ganhará nenhum ponto.

Não é necessário estar inscrito no blog, porém todos aqueles que o fizerem, receberão um aviso por e-mail sobre a postagem da música 24 horas antes dos demais participantes. Portanto estar inscrito dá uma grande vantagem. Aproveite e se inscreva agora.

Pontuação:

3 pontos para o primeiro que acertar o nome da música.
2 pontos para os demais que acertarem o nome da música.
1 ponto para quem não acertar o nome, mas deixar nos comentários alguma resposta.

Então é isso pessoal. Caso queiram divulgar a promoção, o banner dela está no começo desta postagem e estará no blog em várias páginas.

Boa Sorte à todos, e aguardem as postagens.

Novidades [4] - Promoção com Sorteios - Nova sessão

E aí pessoal, como tem(têm) passado?

Pois é, o primeiro mês do ano se passou e com ele algumas ideias(idéias)e novidades vieram junto.

Como podem ver eu ainda não me adaptei as(às) novas regras da literatura e não sei aonde vão os acentos, nem o que mudou e nem nada :P. Por um bom tempo ainda vai acontecer isso huehuehe.

A Primeira novidade é que os exemplares do Bandeira Negra provavelmente estão à caminho, já que o lançamento foi no fim de semana passado, dia 22. Segue uma prévia do mesmo (click para ampliar):


Com isso, dá-se um pulo para a segunda novidade. Uma nova sessão está sendo planejada aqui no blog, chamada Contos e Sons. Essa sessão terá o intuito de unir a Música com a Literatura, e trazer um pouco das idéias que os autores tem quando criam suas músicas.

Essa sessão será semanal (espero mesmo) e cada postagem representará uma nova música. O sentido será tentar descrever a cena que os compositores imaginam em sua cabeça quando criam as letras das músicas.

E anunciando isso, pulo para a terceira novidade. Estou está lançando agora a 1ª Promoção Cultural Depósito de Contos. O prêmio dessa promoção será em primeira mão um exemplar autografado por mim (grande coisa) do livro acima citado, nomeado como Bandeira Negra. Esse concurso estará diretamente ligado com a nova sessão do blog. Explico-lhes como:

Cada nova postagem representará a história de uma música. Porém essa música não será divulgada. Cada participante da promoção deverá tentar adivinhar qual a música a que o conto se refere e enviar a resposta por e-mail. Ao final do período da promoção, quem tiver mais pontos será o vencedor e receberá em casa o livro.

Na próxima postagem estarão as regras da promoção e o banner de divulgação. Aguardem... :)

Entrevista Final

*clic*. O gravador é desligado, enquanto a fita é retirada e guardada instintivamente na valise.

O repórter sabe o valor daquele momento, mas também conhece o risco que corria gravando cada pergunta que fazia na conversa informal.

Achava que tinha o enganado. Sua alma acreditava nisso, porém a realidade era muito pior.

Em um movimento rápido o bastante para ser impossível de desviar, o machado gira, e atravessa uma porção generosa da garganta do repórter.

Então, triunfante, ele abre a pasta cheia de documentos ensanguentados e retira a pequena fita de dentro, selando para sempre o segredo que por muito tempo irá permanecer guardado...

---------------------------------------------

Esse post foi um agradecimento ao "O Mundo dos Comentários", o qual concedi uma entrevista que pode ser lida aqui!

Obrigado à todos os meus leitores e pessoas que de uma forma ou outra contribuem para meu crescimento.