Contos & Sons [4]

terça-feira, 12 de abril de 2011


Bom, cá estou eu novamente para trazer o quarto desafio da nossa promoção Contos & Sons. A disputa está acirrada. Dessa vez vem um conto que, acredito eu, não irá fritar seus cérebros, como o anterior fez.

Curtam aí, Contos & Sons 4.


-------------------------------------------------------------------------------------
Então os ponteiros lentamente se aproximam, antes de se tocarem no alto do relógio, iniciando na rua a sinfonia das doze badaladas do sino da igreja.

A noite, como todas as outras que se passaram, parece normal. Nada fora do comum chama a atenção.

Então naquele beco escuro, berço de tantas histórias contadas para amedrontar os pequenos, alguma coisa estava espreitando. Algo muito maligno.

Os passos seguem um ritmo compassado, um após o outro trazendo os ecos na alameda deserta.

Então a criatura é avistada; a voz é retirada do corpo; os membros congelam; o arrepio percorre as extremidades. O horror te olha de volta.

Os passos agora sim estão descompassados. A corrida desenfreada começa.

Ao entrar em casa, o barulho ensurdecedor da porta preenche os ouvidos, porém agora não existe mais lugar para correr, apenas para se esconder.

Na cabeça, vários momentos da vida se passam, e o calor do sol já é tido como uma utopia nesse momento. A lembrança dos filmes na televisão vem na memória também, fazendo com que os olhos sejam fechados na expectativa de que seja apenas mais um sonho louco, mas o som gosmento da criatura rastejando traz de volta à realidade.

Agora o som é preenchido pelos uivos noturnos. Todos estão se aglomerando lá fora, aguardando o momento certo para possuir suas presas.

Esta é a hora de gritar. Talvez seja a última hora possível para isso. O som de milhares de anos de mortes reaparece para selar o destino.

Não há vida em meio à união da morte. Nenhuma boa alma conseguiria lutar contra as criaturas do inferno. A vidraça à esquerda se quebra. O mesmo acontece com a da direita. Os cacos de vidro parecem não incomodar as mãos que a muito jaziam sem vida.

O esconderijo foi revelado. O que fazer agora? Eu sugiro apenas sentar e esperar pelo inevitável...

-------------------------------------------------------------------------------------

Frase para validação: Finalmente chegou a quarta etapa do Contos & Sons do #DepositoDeContos. Veja você também http://pqp.vc/2-2i

Boa sorte pessoal :)

5 Comentários:

Alfer Medeiros disse...

Two Minutes to Midnight - Iron Maiden.

Alfer Medeiros

adiministrador disse...

Thriller Michael Jackson

Rainier Morilla disse...

'Cause this is thriller, thriller night

TM disse...

For Whom The Bell Tolls - Metallica

Palpite sem o irmão porque to achando que nem vou ver ele até o fim do prazo :p

Paloma Rizzi disse...

Ozzy - Diary of a Madman

Ebaaa ganhei um ponto.. =PPP