A Tristeza e o Pato

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Peraí Álisson, você traiu o movimento dos escritores de contos, manolo?
Nãããão amiguinhos, muita hora nessa calma. Estou postando um poeminha só porque tive ele num momento de inspiração, e quando as coisas surgem na cabeça de graça assim, temos que postar, por mais bobas que pareçam... Segue:




A tristeza é um fato no prato de um pato
que de tão pato, não vê que o prato
se enche de fato se não há um ato
que desperte o inerte,
que faça ter graça,
que faça a vida
ser mais colorida,
que diga pro amor
deixar de ser dor,
não mais machucar
e transforme o calor,
tão quente e tão forte
que nem mesmo a morte
consiga acabar.

Agora amigo, afaste esse choro,
mantenha esse laço
ou não sei o que faço,
se mato ou se morro
buscando socorro
ou apenas um abraço...
Mas o pato,
sem tato ou palato,
vai estar sempre querendo, mesmo sabendo
que isso é besteira, a maior baboseira,
no fundo ser gato...
Um gato chato
que mesmo fofinho
nunca deixou de ser pato,
triste e sozinho...

2 Comentários:

Patrick Alves disse...

oláá alison !!!
dediquei um selo para o teu blog !!
parabens pelo teu conteudo e pelo blog !!!
passa laa no meu para pegar o selo !!
abraços

Kelly disse...

Gostei muito do poema, apesar de ser o único.
Deveria escrever mais poemas.
Excelente! :)